Eventos

Visão Turim

07 julho 2021

A nova proposta de #ReformaTributária foi um dos temas que mais afetou os mercados no mês, com impacto principalmente no mercado de ações brasileiro e, por isso, foi um dos assuntos abordados no #VisãoTurim de junho, realizado nesta quarta-feira.

Na conversa, o nosso economista Henrique Santos, explicou que a tributação de consumo no Brasil é muito complexa, com impostos municipais, estaduais e federais muitas vezes se sobrepondo uns aos outros. Por isso, uma reforma capaz de simplificar esta tributação teria um impacto positivo no crescimento potencial do país.

Entretanto, Henrique destaca que a proposta apresentada pelo governo traz mudanças mais tímidas na tributação sobre o consumo, unificando apenas impostos federais, além de misturar na discussão uma redistribuição da carga tributária entre Pessoa Física e Pessoa Jurídica.

“Se o objetivo inicial era uma reforma estrutural com impacto positivo sobre crescimento potencial, a atual proposta não alcança isso. O que ela faz é redistribuir a carga tributária, compensando uma isenção à Pessoa Física, tributando dividendos e gerando um aumento líquido relevante de encargos da Pessoa Jurídica”, explica Santos.

De forma resumida, nosso economista ponderou que o texto da reforma tributária não estimula investimentos e, por isso, não traz benefícios do ponto de vista estrutural. Além disso, ele acrescenta que o projeto ainda poderá ser bastante desfigurado, não sendo possível até mesmo descartar que este não seja aprovado este ano pelo Congresso.

Além dele, participaram da conversa Gustavo Marini, fundador e co-CEO; Fernando Verboonen, Portfolio Manager; e Rodrigo Louro, responsável pela Turim UK e head de Research.

Voltar